terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Pétala nº 1704

“Não pedi à vida senão que ela me não pedisse nada.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Pétala nº 1703

“Olho para os grandes problemas. Eles disfarçam grandes oportunidades.” 

H. Jackson Brown, escritor norte-americano (1940-)

domingo, 22 de janeiro de 2017

Pétala nº 1702

“Narrar é criar, pois viver é apenas ser vivido.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

sábado, 21 de janeiro de 2017

Pétala nº 1701

“A melancolia é uma tristeza com um pouco de leveza.” 

Italo Calvino, escritor italiano nascido em Cuba (1923-85)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Pétala nº 1700

“As coisas não valem senão na interpretação delas.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Pétala nº 1699

“Aos olhos da saudade, como o mundo é pequeno.” 

Charles Baudelaire, poeta francês (1821-67)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Pétala nº 1698

“Gostaria de estar no campo para poder gostar de estar na cidade.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Pétala nº 1697

“A maior de todas as ignorâncias é rejeitar uma coisa sobre a qual você nada sabe”. 

H. Jackson Brown, escritor norte-americano (1940-)

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Pétala nº 1696

“Escrevo como quem dorme, e toda a minha vida é um recibo por assinar.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

domingo, 15 de janeiro de 2017

Pétala nº 1695

“Toda a história não é mais do que uma infinita catástrofe da qual tentamos sair o melhor possível.”

Italo Calvino, escritor italiano nascido em Cuba (1923-85)

sábado, 14 de janeiro de 2017

Pétala nº 1694

“Posso imaginar-me tudo, porque não sou nada. Se fosse alguma coisa, não poderia imaginar.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Pétala nº 1693

“A razão de ser de qualquer fé é trazer-nos uma certeza.”

André Maurois, escritor francês (1885-1967)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Pétala nº 1692

“A monotonia das vidas vulgares é, aparentemente, pavorosa.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Pétala nº 1691

“A melhor maneira de se esquecer do tempo é usá-lo.”

Charles Baudelaire, poeta francês (1821-67)

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Pétala nº 1690

“Uma só coisa me maravilha mais do que a estupidez com que a maioria dos homens vive a sua vida: é a inteligência que há nessa estupidez.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Pétala nº 1689

“A vida de um homem é o que seus pensamentos constroem”. 

Marco Aurélio, imperador da Roma Antiga, (121-180)

domingo, 8 de janeiro de 2017

Pétala nº 1688

“Quando se deixam vencer pela cólera, as pessoas são capazes de dizer as coisas mais horríveis.” 

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “Homem na escuridão”, Ed. ASA, 2008

sábado, 7 de janeiro de 2017

Pétala nº 1687

“Somente a curiosidade não envelhece connosco e fica sempre criança.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Pétala nº 1686

“As pessoas partem para a guerra, e às vezes morrem.” 

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “Homem na escuridão”, Ed. ASA, 2008

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Pétala nº 1685

“O raciocínio pode servir para demonstrar com certa aparência de solidez as teses mais absurdas.

André Maurois, escritor francês (1885-1967)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Pétala nº 1684

“A mente tem uma mente que é só dela”. 

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “Homem na escuridão”, Ed. ASA, 2008

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Pétala nº 1683

"O truque mais esperto do Diabo é convencer-nos de que ele não existe." 

Charles Baudelaire, poeta francês (1821-67)

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Pétala nº 1682

“A prudência está em precaver as insídias; a força, em tolerar a adversidade; a inteligência, em refutar os males e escolher os bens.” 

Santo António, citado por Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

domingo, 1 de janeiro de 2017

Pétala nº 1681

“A vida dá tantas voltas e é tão paradoxal no seu decorrer que tanto o mau pode vir a ser bom, como o bom pode vir a ser mau.” 

Antigo conselho Chinês.

sábado, 31 de dezembro de 2016

Pétala nº 1680

“A tristeza é a dor silenciosa.” 

Santo António, citado por Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Pétala nº 1679

“O amor, para durar, reclama incerteza.”

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Pétala nº 1678

“A voz é a nossa alma.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Pétala nº 1677

“A imaginação contribui para um conhecimento vital e inteiro da vida.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Pétala nº 1676

“No fundo da existência apenas há o tédio e a fraqueza. Deus, ao criar o mundo, não conseguiu construir melhor.”

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Pétala nº 1675

“Acreditar em Deus é também imaginar Deus.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

domingo, 25 de dezembro de 2016

Pétala nº 1674

“As recordações pesam muito. É uma pena.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

sábado, 24 de dezembro de 2016

Pétala nº 1673

“Ao conhecimento do mal ou do bem absolutos não se chega sem a imaginação.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Pétala nº 1672

“Quando já não temos lar, o mundo torna-se muito pequeno.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Pétala nº 1671

“Os livros nas minhas estantes não me conhecem até eu os abrir.” 

Sócrates, filósofo da Grécia Antiga (-469/-399)

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Pétala nº 1670

“Ler começa com os olhos”.

Alberto Manguel, escritor argentino-canadense(1948-), in “Uma história da leitura”, Ed. Presença, 1998

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Pétala nº 1669

“Ler significa aproximarmo-nos de algo que está nesse momento em devir.”

Italo Carvino, escritor italiano nascido em Cuba (1923-85)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Pétala nº 1668

“Um livro traz a sua própria história ao leitor.”

Alberto Manguel, escritor argentino-canadense (1948-), in “Uma história da leitura”, Ed. Presença, 1998

domingo, 18 de dezembro de 2016

sábado, 17 de dezembro de 2016

Pétala nº 1666

“Lemos para compreender ou para começar a compreender. Não podemos deixar de ler. Ler, quase tanto como respirar, é uma das nossas funções vitais.” 

Alberto Manguel, escritor argentino-canadense (1948-), in “Uma história da leitura”, Ed. Presença, 1998

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Pétala nº 1665

“O homem requer sempre uma inatingível meta, uma esperança vã, um descontentamento, que o incite a caminhar para a frente.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Pétala nº 1664

“Não fugimos por mais que queiramos, à fraternidade universal. Amamo-nos todos uns aos outros, e a mentira é o beijo que trocamos.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Pétala nº 1663

“O cinema é um modo divino de contar a vida.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Pétala nº 1662

“A mentira é simplesmente a linguagem ideal da alma.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

^Pétala nº 1661

“A biblioteca é um lugar onde se pode perder a inocência sem perder a virgindade.” 

Germaine Greer, escritora australiana (1939-)

domingo, 11 de dezembro de 2016

Pétala nº 1660

“Escrevo e choro a minha infância perdida.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

sábado, 10 de dezembro de 2016

Pétala nº 1659

“A vida é uma combinação de magia e esparguete.”

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Pétala nº 1658

“A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Pétala nº 1657

“O amor eterno é de muito breve duração; podemos odiar eternamente, porém, amar eternamente, não.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Pétala nº 1656

“A amizade que se quebra e se retoma é como o caldo requentado.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Pétala nº 1655

“Hoje, cada qual precisa de uma virtude apenas: dinheiro. Tendo-a, possuem-se todas as outras.”

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)