domingo, 19 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1730

“Um último sintoma de ódio é a mentira.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “Tenham coragem”, ed. Bertrand, 1999

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1729

"Deus mantém a Terra viva.”

Lenda judia.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1728

“Os remorsos são a voz da moral mais autêntica.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “Tenham coragem”, ed. Bertrand, 1999

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1727

“Acreditar em Deus é também imaginar Deus.”

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1726

“Viver significa merecer a vida.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “Tenham coragem”, ed. Bertrand, 1999

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1725

“Ao conhecimento do mal ou do bem absolutos não se chega sem a imaginação.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1724

“A esperança não tem troco, é um investimento nas trevas.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Jóia de família”, Guimarães Ed., 2001

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1723

“Acredite que você pode ser um sucesso, e você será”.

Dale Carnegie, escritor norte-americano (1888-1955)

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1722

“Um homem que não sorri à sua mulher, sem causa e sem esperança, é um tolo.” 

 Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Jóia de família”, Guimarães Ed., 2001

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1721

“Elogie em público, critique em particular.”

H. Jackson Brown, escritor norte-americano (1940-)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1720

“Até o sol tem manchas e não deixa, por isso, de brilhar.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Jóia de família”, Guimarães Ed., 2001

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1719

“A arte de escrever histórias consiste em conseguir retirar do pouco que se compreendeu da vida tudo o resto; porém, acabada a página, a vida renova-se e damo-nos conta de que o que sabíamos era muito pouco.” 

Italo Calvino, escritor italiano nascido em Cuba (1923-85)

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1718

“O dinheiro não faz gente.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Jóia de família”, Guimarães Ed., 2001

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1717

“Todo o homem saudável consegue ficar dois dias sem comer - sem a poesia, jamais.” 

Charles Baudelaire, poeta francês (1821-67)

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1716

“A virtude tem limites, o inferno não.”

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Jóia de família”, Guimarães Ed., 2001

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1715

“A loucura é uma força da natureza para o bem ou para o mal, ao passo que a estupidez é uma debilidade da natureza sem contrapartidas.” 

Italo Calvino, escritor italiano nascido em Cuba (1923-85)

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1714

“Quando o amor entra no tempo proibido dos interesses humanos, perdidas estão as razões que os guiam.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Jóia de família”, Guimarães Ed., 2001

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1713

“A felicidade é uma flor que não se deve colher.”

André Maurois, escritor francês (1885-1967)

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Pétala nº 1712

“Não se escreve melhor porque se escreveu muito.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Jóia de família”, Guimarães Ed., 2001

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Pétala nº 1711

“Se você quer mudar tudo, basta mudar a sua atitude.”

H. Jackson Brown, escritor norte-americano (1940-)

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Pétala nº 1710

“Antes de embarcarmos numa viagem de vingança, devemos cavar duas sepulturas”.

Confúcio, citado por Ian McEwan, escritor inglês (1948- ), in “Numa casca de noz”, Ed. Gradiva, 2016

domingo, 29 de janeiro de 2017

Pétala nº 1709

“Como foi a imaginação que criou o mundo, ela governa-o.”

Charles Baudelaire, poeta francês (1821-67)

sábado, 28 de janeiro de 2017

Pétala nº 1708

“O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Pétala nº 1707

“Seja mais esperto que os outros, mas não deixe que eles saibam.” 

H. Jackson Brown, escritor norte-americano (1940-)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Pétala nº 1706

“Somos morte. Isto, que consideramos vida, é o sono da vida real, a morte do que verdadeiramente somos.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Pétala nº 1705

“Os negócios são a combinação da guerra e do desporto.”

André Maurois, escritor francês (1885-1967)

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Pétala nº 1704

“Não pedi à vida senão que ela me não pedisse nada.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Pétala nº 1703

“Olho para os grandes problemas. Eles disfarçam grandes oportunidades.” 

H. Jackson Brown, escritor norte-americano (1940-)

domingo, 22 de janeiro de 2017

Pétala nº 1702

“Narrar é criar, pois viver é apenas ser vivido.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

sábado, 21 de janeiro de 2017

Pétala nº 1701

“A melancolia é uma tristeza com um pouco de leveza.” 

Italo Calvino, escritor italiano nascido em Cuba (1923-85)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Pétala nº 1700

“As coisas não valem senão na interpretação delas.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Pétala nº 1699

“Aos olhos da saudade, como o mundo é pequeno.” 

Charles Baudelaire, poeta francês (1821-67)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Pétala nº 1698

“Gostaria de estar no campo para poder gostar de estar na cidade.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Pétala nº 1697

“A maior de todas as ignorâncias é rejeitar uma coisa sobre a qual você nada sabe”. 

H. Jackson Brown, escritor norte-americano (1940-)

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Pétala nº 1696

“Escrevo como quem dorme, e toda a minha vida é um recibo por assinar.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

domingo, 15 de janeiro de 2017

Pétala nº 1695

“Toda a história não é mais do que uma infinita catástrofe da qual tentamos sair o melhor possível.”

Italo Calvino, escritor italiano nascido em Cuba (1923-85)

sábado, 14 de janeiro de 2017

Pétala nº 1694

“Posso imaginar-me tudo, porque não sou nada. Se fosse alguma coisa, não poderia imaginar.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Pétala nº 1693

“A razão de ser de qualquer fé é trazer-nos uma certeza.”

André Maurois, escritor francês (1885-1967)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Pétala nº 1692

“A monotonia das vidas vulgares é, aparentemente, pavorosa.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Pétala nº 1691

“A melhor maneira de se esquecer do tempo é usá-lo.”

Charles Baudelaire, poeta francês (1821-67)

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Pétala nº 1690

“Uma só coisa me maravilha mais do que a estupidez com que a maioria dos homens vive a sua vida: é a inteligência que há nessa estupidez.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Pétala nº 1689

“A vida de um homem é o que seus pensamentos constroem”. 

Marco Aurélio, imperador da Roma Antiga, (121-180)

domingo, 8 de janeiro de 2017

Pétala nº 1688

“Quando se deixam vencer pela cólera, as pessoas são capazes de dizer as coisas mais horríveis.” 

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “Homem na escuridão”, Ed. ASA, 2008

sábado, 7 de janeiro de 2017

Pétala nº 1687

“Somente a curiosidade não envelhece connosco e fica sempre criança.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Pétala nº 1686

“As pessoas partem para a guerra, e às vezes morrem.” 

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “Homem na escuridão”, Ed. ASA, 2008

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Pétala nº 1685

“O raciocínio pode servir para demonstrar com certa aparência de solidez as teses mais absurdas.

André Maurois, escritor francês (1885-1967)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Pétala nº 1684

“A mente tem uma mente que é só dela”. 

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “Homem na escuridão”, Ed. ASA, 2008

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Pétala nº 1683

"O truque mais esperto do Diabo é convencer-nos de que ele não existe." 

Charles Baudelaire, poeta francês (1821-67)

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Pétala nº 1682

“A prudência está em precaver as insídias; a força, em tolerar a adversidade; a inteligência, em refutar os males e escolher os bens.” 

Santo António, citado por Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

domingo, 1 de janeiro de 2017

Pétala nº 1681

“A vida dá tantas voltas e é tão paradoxal no seu decorrer que tanto o mau pode vir a ser bom, como o bom pode vir a ser mau.” 

Antigo conselho Chinês.

sábado, 31 de dezembro de 2016

Pétala nº 1680

“A tristeza é a dor silenciosa.” 

Santo António, citado por Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Pétala nº 1679

“O amor, para durar, reclama incerteza.”

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Pétala nº 1678

“A voz é a nossa alma.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Pétala nº 1677

“A imaginação contribui para um conhecimento vital e inteiro da vida.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Pétala nº 1676

“No fundo da existência apenas há o tédio e a fraqueza. Deus, ao criar o mundo, não conseguiu construir melhor.”

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Pétala nº 1675

“Acreditar em Deus é também imaginar Deus.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

domingo, 25 de dezembro de 2016

Pétala nº 1674

“As recordações pesam muito. É uma pena.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

sábado, 24 de dezembro de 2016

Pétala nº 1673

“Ao conhecimento do mal ou do bem absolutos não se chega sem a imaginação.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Pétala nº 1672

“Quando já não temos lar, o mundo torna-se muito pequeno.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Pétala nº 1671

“Os livros nas minhas estantes não me conhecem até eu os abrir.” 

Sócrates, filósofo da Grécia Antiga (-469/-399)

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Pétala nº 1670

“Ler começa com os olhos”.

Alberto Manguel, escritor argentino-canadense(1948-), in “Uma história da leitura”, Ed. Presença, 1998

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Pétala nº 1669

“Ler significa aproximarmo-nos de algo que está nesse momento em devir.”

Italo Carvino, escritor italiano nascido em Cuba (1923-85)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Pétala nº 1668

“Um livro traz a sua própria história ao leitor.”

Alberto Manguel, escritor argentino-canadense (1948-), in “Uma história da leitura”, Ed. Presença, 1998

domingo, 18 de dezembro de 2016

Pétala nº 1667

“Ler para viver”

Gustave Flaubert, escritor francês (1821-80)

sábado, 17 de dezembro de 2016

Pétala nº 1666

“Lemos para compreender ou para começar a compreender. Não podemos deixar de ler. Ler, quase tanto como respirar, é uma das nossas funções vitais.” 

Alberto Manguel, escritor argentino-canadense (1948-), in “Uma história da leitura”, Ed. Presença, 1998

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Pétala nº 1665

“O homem requer sempre uma inatingível meta, uma esperança vã, um descontentamento, que o incite a caminhar para a frente.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Pétala nº 1664

“Não fugimos por mais que queiramos, à fraternidade universal. Amamo-nos todos uns aos outros, e a mentira é o beijo que trocamos.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Pétala nº 1663

“O cinema é um modo divino de contar a vida.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Pétala nº 1662

“A mentira é simplesmente a linguagem ideal da alma.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

^Pétala nº 1661

“A biblioteca é um lugar onde se pode perder a inocência sem perder a virgindade.” 

Germaine Greer, escritora australiana (1939-)

domingo, 11 de dezembro de 2016

Pétala nº 1660

“Escrevo e choro a minha infância perdida.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

sábado, 10 de dezembro de 2016

Pétala nº 1659

“A vida é uma combinação de magia e esparguete.”

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Pétala nº 1658

“A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Pétala nº 1657

“O amor eterno é de muito breve duração; podemos odiar eternamente, porém, amar eternamente, não.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Pétala nº 1656

“A amizade que se quebra e se retoma é como o caldo requentado.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Pétala nº 1655

“Hoje, cada qual precisa de uma virtude apenas: dinheiro. Tendo-a, possuem-se todas as outras.”

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Pétala nº 1654

“Há uma paixão nos homens que supera todas as outra: é a do desprezo.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

domingo, 4 de dezembro de 2016

Pétala nº 1653

“Não há fim. Não há nenhum começo. Existe apenas a infinita paixão da vida.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

sábado, 3 de dezembro de 2016

Pétala nº 1652

“A vida é assim, o peixe mau não tem espinhas e o bom está cheio delas.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Pétala nº 1651

“O maior problema e o único que nos deve preocupar é vivermos felizes.”

Voltaire, filósofo francês (1694-1778)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Pétala nº 1650

“O amor vive de pequenos acontecimentos que dão grandes respostas.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Pétala nº 1649

“A fotografia é um segredo sobre um segredo. Quanto mais te diz, menos ficas a saber.” 

Diane Arbus, fotógrafa e escritora norte-americana (1923-71)

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Pétala nº 1648

“A virtude cessa de existir quando deixa de se ignorar.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Pétala nº 1647

“Não se é menos culpado não fazendo o que se deve fazer, do que fazendo o que não se deve fazer.”

Marco Aurélio, imperador da Roma Antiga, (121-180)

domingo, 27 de novembro de 2016

Pétala nº 1646

“A amizade sofre tanto com a ausência como com a presença demasiada.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

sábado, 26 de novembro de 2016

Pétala nº 1645

“Quem não pode o que quer, queira o que pode.” 

Leonardo da Vinci, cientista, inventor, pintor, escritor italiano (1452-1519)

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Pétala nº 1644

“O mal executa-se no bem, e esse devora os seus próprios efeitos.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Pétala nº 1643

“O que sabemos é uma gota de água; o que ignoramos é um oceano.” 

Isaac Newton, cientista inglês (1643-1727)

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Pétala nº 1642

“Só a malícia é inteiramente leal e durável.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Pétala nº 1641

“O falhanço é o condimento que dá sabor ao sucesso.” 

Truman Capote, escritor norte-americano (1924-84)

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Pétala nº 1640

“A alma humana é feita de tal maneira que só partilha o que tem de pior.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

domingo, 20 de novembro de 2016

Pétala nº 1639

“Os cidadãos de uma democracia não podem ser tratados como um corpo estranho, como intrusos, como gente de segunda ou “sob suspeita”. 

Pedro Mexia, poeta, cronista e crítico literário português (1972-)

sábado, 19 de novembro de 2016

Pétala nº 1638

“Sexo e morte: as portas de entrada e saída do mundo. Como nos estão indissoluvelmente associadas!” 

William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “A recompensa do soldado”, Ed. Casa das Letras, 2010 
Prémio Nobel de Literatura, 1949

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Pétala nº 1637

“Ser velho é como um avião a voar numa tempestade. Uma vez a bordo, não há nada que nos possa fazer parar.” 

Golda Meir, ex-primeira ministra de Israel (1898-1978)

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Pétala nº 1636

“Porque é que um homem não pode ser muito feliz ou muito infeliz? É apenas uma espécie de mistura pálida entre ambos.” 

William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “A recompensa do soldado”, Ed. Casa das Letras, 2010 
Prémio Nobel de Literatura, 1949

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Pétala nº 1635

“A palavra “impossível” é uma expressão infeliz: nada se pode esperar daqueles que a usam frequentemente.” 

Thomas Carlyle, historiador inglês (1795-1881)

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Pétala nº 1634

“… não há nada semelhante a um coração jovem: a juventude não tem coração.” 

William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “A recompensa do soldado”, Ed. Casa das Letras, 2010 
Prémio Nobel da Literatura, 1949

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Pétala nº 1633

“A ingratidão é o mais horrendo de todos os pecados.” 

Alexandre Herculano, escritor português (1810-77)

domingo, 13 de novembro de 2016

Pétala nº 1632

“Aquele que beija e conta como foi não é lá grande cavalheiro.” 

William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “A recompensa do soldado”, Ed. Casa das Letras, 2010 
Prémio Nobel da Literatura, 1949

sábado, 12 de novembro de 2016

Pétala nº 1631

“A mudança é a lei da vida.”

John Fitzgerald Kennedy, estadista norte-americano (1917-63)

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Pétala nº 1630

"A violência , seja qual for, foi sempre para mim uma forma esbugalhada da estupidez humana.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Pétala nº 1629

“A maldade pode muitas vezes sacrificar-se a si mesma: é quando renuncia voluntariamente a uma vantagem pessoal para vantagem de outrem.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Pétala nº 1628

“A alma humana é um abismo obscuro e viscoso, um poço que se não usa na superfície do mundo.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Pétala nº 1627

“Devemos ir buscar a coragem ao nosso próprio desespero.” 

Séneca, filósofo e escritor da Roma Antiga (-4/65)

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Pétala nº 1626

“Com um charuto caro e os olhos fechados é ser rico.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

domingo, 6 de novembro de 2016

Pétala nº 1625

“O governo mesmo quando perfeito, não passa de uma mal necessário; quando imperfeito, é um mal insuportável.” 

Thomas Paine, escritor e político inglês (1737-1809)

sábado, 5 de novembro de 2016

Pétala nº 1624

“Não choro por nada que a vida traga ou leve. Há porém páginas de prosa que me têm feito chorar.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Pétala nº 1623

“Se não houvesse injustiça, ignorar-se-ia até o nome da justiça.”

Heraclito, filósofo pré-socrático (-535/-475)

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Pétala nº 1622

“Gosto de dizer. Direi melhor: gosto de palavrar. As palavras são para mim corpos tocáveis, sereias visíveis, sensualidades incorporadas.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Pétala nº 1621

“A vida é uma combinação de magia e esparguete.”

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Pétala nº 1620

“Tenho sono, muito sono, todo o sono!” 

 Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Pétala nº 1619

“Eu acredito que as lágrimas foram dadas às mulheres para se rirem dos homens.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

domingo, 30 de outubro de 2016

Pétala nº 1618

“Não o prazer, não a glória, não o poder: a liberdade, unicamente a liberdade.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

sábado, 29 de outubro de 2016

Pétala nº 1617

“Uma verdade sem interesse pode ser eclipsada por uma mentira emocionante.” 

Aldous Huxley, escritor inglês (1894-1963)

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Pétala nº 1616

“Adoramos a perfeição, porque a não podemos ter, repugná-la-íamos, se a tivéssemos. O perfeito é desumano, porque o humano é imperfeito.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Pétala nº 1615

“Sofre mais aquele que espera sempre do que aquele que nunca esperou ninguém.” 

Pablo Neruda, poeta chilena (1904-73) 
Prémio Nobel de Literatura, 1871

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Pétala nº 1614

“Os poetas comportam-se como se a verdade fosse eterna, e isso estreita os seus horizontes.”

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Florbela Espanca”, Guimarães Ed., 1976

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Pétala nº 1613

“Quanto maior o poder, mais perigoso é o abuso.”

Edmund Burke, escritor e político irlandês (1729-97)

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Pétala nº 1612

“Não mentir, em amor, é conseguir uma íntima unidade que já não se chama amor.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Florbela Espanca”, Guimarães Ed., 1976

domingo, 23 de outubro de 2016

Pétala nº 1611

“Chorar sobre as desgraças passadas é a maneira mais segura de atrair outras.” 

William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

sábado, 22 de outubro de 2016

Pétala nº 1610

“… um miserável não se torna generoso com os anos… torna-se mais miserável.” 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Pétala nº 1609

"Pior do que ciúme é a falta de ciúme.” 

Fabrício Carpinejar, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Pétala nº 1608

“… a idade por si só não faz ninguém melhor nem mais sábio, simplesmente evidencia aquilo que as pessoas sempre foram.” 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Pétala nº 1607

“Aquele que conhece as torturas do ciúme, não sente o ferrão de nenhuma outra dor.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Pétala nº 1606

“Sem honra a vida teria muito pouco valor.” 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015